quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Nem mais nem menos humanos.

Campeão ;]

Eu tava lendo sobre as Américas no site do NY Times (www.nytimes.com) e passando olho por uma e outra notícia, muitas delas alarmando como se fosse o fim do mundo o referendo na Bolívia e a visita de Kirschner a Cuba, eu vi algo que me chamou a atenção. Imagens de uma inundação gigantesca sobre pequenos casebres e pessoas que se digladiavam por comida. Lendo a notícia que tratava sobre as enchentes que assolaram o Haiti no ano passado fiquei tão chocado quanto chateado.

O Haiti é uma ilhota na América Central que foi colonizada pelos franceses e que foi palco da primeira revolução escrava no continente. O país sofreu com décadas de ditadura levadas a cabo pela família Duvalier, que foram responsáveis, em boa parte, pelo status do país de mais miserável do hemisfério ocidental. A ajuda humanitária (ONU e Cruz Vermelha) na região tem certo tempo, porém sempre insuficiente e rala. Resumindo, é um país que sofre com uma história carregada de erros e problemas.

Não sendo suficientes os perrengues do passado, o Haiti sofre hoje com o descaso da comunidade internacional. A indiferença do mundo perante a miséria e a falta de condição de sustentabilidade daquele país assusta. Os quatro furacões que chegaram à ilha arrasaram quase todo o país tendo seu porte equiparável ao Katrina, aquele que atingiu a Lousiana nos EUA e que comoveu o mundo, porém a se formos comparar o porte dos donativos recebidos para ajudar o local a se reestabelecera ajuda que chegou à América Central de alguns poucos países solidários não chega nem aos pés da Lousiana, que recebeu donativos até de Plutão.

O que assusta não é terem doado em boa quantidade donativos à Lousiana e sim terem ignorado as áreas afetadas no Haiti. A ajuda é humanitária, sendo humanitária, deve ser estendida a qualquer ser humano, não importando se ele é americano ou haitiano. A necessidade são as mesmas em qualquer área devastada: Alimentos, roupas e medicamentos. A ajuda deve vir desapegada de qualquer interesse e tendo só um único objetivo: ajudar.

A frase que melhor define o que aconteceu foi dada por um morador que falou que o que aocnteceu lá é um Katrina em um país inteiro, mas sem a repercussão que a Lousiana teve. O que deveria importar não é se é Lousiana, Haiti ou qualquer outro lugar e sim que foi um desastre e que a necessidade de ajuda era a mesmma, afinal os americanos não são mais humanos que os haitianos. Pelo menos, não deveriam ser.

Nenhum comentário: